Ansiedade e um pouco de nostalgia

23 setembro, 2020

 

Olá pessoas, tudo bem?

Já tem algum tempo que eu venho percebendo que minha ansiedade está em alta durante a quarentena, e apesar de não ter crises, sei que isso vem me afetando mais do que eu gostaria. Nesse estado, não consigo fazer nada e nem dialogar com a maioria das pessoas. Na verdade, não sou o tipo de pessoa que conversa quando estou com algum problema ou sentimento. Na maioria das vezes preciso entender sozinha o gatilho da minha ansiedade, para só então conseguir solucionar. Vocês também são assim ou sou meio louca?


Foto: Canva Pro



Com o tempo eu aprendi a não me culpar, pois nesses dias eu sei que vou do fazer apenas o necessário ou vou ficar obsessiva com jogos, séries ou livros. Isso se tornou um mecanismo de defesa em que condiciono minha atenção para outra coisa e tiro o foco da ansiedade. Eu percebi que fazendo isso, consigo voltar para o meu ritmo de uma forma mais rápida.

Eu também percebi que tenho mais dificuldade em lidar com a crise quando não consigo identificar o que a causou. Acho que meu senso de controle às vezes ajuda a potencializar a crise pois acho que devo controlar até meus sentimentos e a gente sabe que não é bem assim né?


Foto: Canva Pro

Essa semana, eu descobri que escrever também me acalma. E como eu amo escrever aqui no blog, tentarei trazer um pouco dessas reflexões pra cá. Eu não quero ficar como algo mecânico só focado em conteúdo, afinal não sou uma maquina e tenho sentimentos, inclusive mais do que eu consigo contar e apesar de não conseguir conversar, essa talvez seja uma forma de colocar pra fora e ver se alguém se identifica também.

Ainda esses dias, me bateu uma nostalgia de anos atrás quando existiam os blogs diários que você podia escrever sobre qualquer coisa sem ser julgado de forma pesada. Era uma válvula de escape pra muita gente tímida e talz. Eu amava escrever e ler as histórias das pessoas me sentia mais conectadas, como se a pessoa fosse mais real sabe?


Foto: Canva Pro


Isso me levou a refletir que eu não quero ser apenas uma criadora de conteúdo, eu quero fazer conexões, conhecer pessoas e ajudar o máximo de pessoas possível. Além de compartilhar sentimentos, também é uma forma da gente se ajudar e se motivar. Teve até post sobre motivação aqui pela @teacherananda.

Faz sentido ou estou alucinando sozinha?

0 comments :

Postar um comentário